Written by

The Cure ao vivo em 1979 para deixar seu dia mais feliz!

Shows, Trivia| Views: 159

Acordo nessa manhã e vou ouvir uma musiquinha e vejam o que o YouTube me sugere!

Uma suposta primeira apresentação do THE CURE para a TV francesa, em dezembro de 1979.


No palco está uma das formações iniciais da banda – Robert Smith, ainda sem o visual gótico, nos vocais e guitarra que toca com desenvoltura, os indefectíveis Lol Tolhurst na bateria e Simon Gallup no baixo e, para fechar, Matthieu Hartley no teclado.

Vale falar sobre quem estava no palco – o THE CURE foi uma banda que trocou muito de formação com o tempo, mas os dois primeiros colegas de banda citados acima foram os caras que mais tempo ficaram ao lado de Smith, a cozinha preferida dele. Matthieu Hartley ficou por pouquíssimo tempo mas foi fundamental para a virada da banda para o estilo gótico que caracterizou o som e o visual dos caras.

O bacana nesse vídeo é vê-los em ação sem nenhum tipo de ornamento (Robert Smith usando um suéter?!). Mas tudo o que conhecemos de THE CURE está lá – o vocal chorado, a guitarra Fender Jazzmaster com o Flanger (*) no talo, o baixo barulhento e marcadão.

A apresentação é de apenas três músicas.

Eles abrem com “A Forest”, que naquele momento, e com outra letra, se chamava “At Night”. Tanto “A Forest” como “At Night” estariam depois no segundo álbum da banda “Seventeen Seconds”. Mas “At Night” se transformaria em algo totalmente diferente e “A Forest” é uma das canções mais conhecidas e tocada pela banda ao vivo.

Na sequência, Robert Smith avisa a plateia que irá tocar “Three Imaginary Boys”, do álbum homônimo de 1979, o primeiro da banda. A música é simples, bonita e direta, como as melhores coisas que eles fizeram.

Mas o melhor vem por último!

Uma versão vitaminada e super rápida de “Killing An Arab”, o controverso primeiro single e hit instantâneo da banda. Essa versão ao vivo está rápida e ainda muito contaminada pelo início punk do THE CURE, mas já caindo para o lado mais triste e etéreo que caracterizou a fase seguinte. Essa fase gótica foi influência de Siouxsie Sioux e seus Banshees, mas essa história fica para outro dia.

Tremendo show!

Surpresa feliz por ser acordado pela versão novinha do THE CURE.

 


 

(*) o pedal Flanger, muito usado pelo The Cure, mas também por outros caras mais modernos como Sonic Youth e o guitarrista do Rage Against The Machine, Tom Morello, é um pedal de efeito que atrasa um pouco o sinal que vem da guitarra, criando um efeito de eco que, se colocado no máximo, fica parecendo o efeito doppler de um avião passando sobre você. Existem vários fabricantes e modelos mas, até onde minha pesquisa foi, esse é o modelo usado por Robert Smith.

Comentários

comentários

Comments are closed.